A avaliação imobiliária que define o preço do imóvel, não o proprietário.

Tempo de leitura: 3 minutos

Oi Corretor. Como vai?

Hoje eu vim aqui falar de algo que merece uma atenção especial quando o assunto é compra e venda de imóveis, que é a avaliação imobiliária.

Precificar um imóvel é algo tão decisivo no processo de compra e venda que, por muitas vezes, é o único motivo pelo qual o imóvel não é vendido.

Em 99% dos casos, é o cliente proprietário quem dita o valor do imóvel, ou seja, quanto ele quer na sua casa ou apartamento para vender.

E, nas mesmas proporções, esse valor tende a estar fora do seu valor de mercado.

Isso por que o sistema de avaliação do imóvel que o dono do bem utiliza para precificá-lo é com base em requisitos que “não interessam” para o mercado ou, melhor dizendo, não o influenciam. Por exemplo:

  • Valor sentimental – quando o imóvel é de família, o dono foi nascido e criado nele etc.;
  • Herança e tem que partilhar o valor da venda por X irmãos;
  • Que foi todo reformado com o que há de mais nobre em decoração.

Estes são os principais motivos pelos quais proprietários, equivocadamente, precificam seus imóveis a venda e acabam dificultando a sua comercialização.

Quem faz a avaliação imobiliária na sua imobiliária?

Existem corretores de imóveis que se especializam nosso e contar um especialista no assunto é sempre um diferencial de peso em qualquer empresa, de qualquer segmento.

O corretor de imóveis é o profissional competente para fazer a avaliação imobiliária. Ele entende do mercado imobiliário e, sobretudo, do mercado imobiliário da região onde está o imóvel, o que é imprescindível para uma avaliação imobiliária assertiva.

Em tempo, vale dizer que a avaliação do imóvel documentada, por escrito, tudo certinho é chamada de Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica, pode e deve ser cobrada.

É um trabalho previsto pelo CRECI, que consta, inclusive, na tabela deles.

Assim como o percentual de comissão do corretor de imóveis, cada CRECI tem a sua tabela para dizer quanto custa a avaliação imobiliária. Verifique o do seu estado e valorize ainda mais o seu trabalho.

Mas, de uma forma geral e dentro de uma realizada mais comum, todos os corretores de imóveis com algum tempo de mercado fazem esse trabalho, geralmente, durante a captação do imóvel.

Há itens que não podem ficar de fora da avaliação imobiliária, em especial, a localização do imóvel.

A Localização do Imóvel é um requisito de primeira importância em uma avaliação imobiliária.

Sabemos que boa localização vai muito além do que é considerado bairro nobre ou não. Dentro disso, é importante avaliar também:

  • Mobilidade urbana – transporte público, vias de acesso e trânsito.
  • Infraestrutura de serviços no entorno: escolas, supermercados, farmácias e hospitais
  • Segurança: índice de criminalidade do bairro e região
  • Desenvolvimento do bairro e região: futuras obras, investimentos públicos e privados no bairro: grandes marcas, praças, hospitais etc.

Além disso, é bacana ter um comparativo com outros imóveis semelhantes de outras regiões e claro, de imóveis vizinhos para que o proprietário se situe do seu cenário atual.

Com todos estes dados em mãos, você já pode argumentar com propriedade junto ao cliente proprietário o quanto vale o seu imóvel no mercado.

E o cliente interessado em comprar também. A avaliação do imóvel te ajuda em toda a jornada de compra, inclusive, nas negociações com o cliente interessado.

Você terá argumentos e “provas” do porque aquele imóvel vale o que estão pedindo.

Em resumo é: imóvel fora do preço não vende. E o proprietário precisa saber disso!

Mas, calma! Há a maneira ideal para ele saber disso e a avaliação imobiliária é o melhor caminho.

Então, vale ressaltar aqui a importância da empatia no atendimento ao cliente. O cliente não é obrigado a saber disso, você sim.

Estamos falando da venda de um imóvel, quanta história tem por trás de um imóvel, ou melhor dizendo, dentro de um imóvel?

É fundamental ter empatia, entender o motivo da venda, a necessidade/urgência do proprietário em vender o bem, enfim, o cenário por trás de tudo isso para fazer um bom atendimento.

Cuidadoso, respeitoso e empatia, combinado?

Juntos, você e o proprietário, vão chegar ao preço ideal do bem e colocar ele em jogo. A venda é consequência de alguns outros fatores que você já sabe e, com certeza, fará com maestria.

É o corretor de imóveis com a avaliação imobiliária que define o preço do imóvel, mas, o dono do imóvel que decide se aceita ou não 😉

Agora me conta: quantos imóveis na sua carteira estão com o preço fora do mercado e, por isso, não saem nunca?

Bons negócios!

6 Comments

  1. Alexandre Cox

    Excelente artigo. devemos focar nos clientes que realmente querem vender e não nos que querem especular.

  2. claudinei ferreira

    Boa noite. Infelizmente os proprietários sempre acha que o imóvel dele, vale mais em qualquer circunstância, porém

    não é assim que as coisas funcionam, como este relato feito nessa matéria, concordo plenamente, então temos que conver_

    sar com o proprietário, e faze-lo entender que temos parâmetros para avaliar o imóvel, e ver se realmente vai vender pelo

    valor que ele acha que vale no mercado imobiliário, ´para não ficar encalhado, e sim vender ou alugar pelo preço justo.

    • Letycia Queiroz

      Oi Claudinei.
      Que bom ter você por aqui.
      Acontece muito, infelizmente.
      Vamos mudando o mercado aos poucos…

      um abraço.

  3. Manoel Kirino

    Bom dia. Tenho 15 anos de ramo e tem coisas nessa profissão que me chateiam muito. Uma delas é o proprietario achar que seu imovel tem que ser vendido por valor bem acima do mercado. E nada faz o indivíduo mudar a opinião , por mais que apresente os motivos e fatos concretos, ele preferem deixar o apto pegar mofo a vende-lo. Mesmo vc apresentando imoveis, até o esmo predio e metragem , ele nega e não aceita se adequar. Isso é bastante comum e não podemos mudar. Simplesmente , registramos no cadastro e esquecemos o caso. Ponto final.

    • Letycia Queiroz

      Oi Manoel. Como vai?
      Acontece muito, infelizmente.
      Mas, vamos tentando mudar o mercado, gradativamente…

      Um abraço.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios *