Quanto ganha um corretor de imóveis

Quanto ganha um corretor de imóveis?

Eu acredito que você ainda não é um profissional da área ou é novo nesse mercado e está buscando mais informações a respeito, certo?

Se esse for o seu caso, você está no lugar certo. 

Aqui temos as respostas para essa, que é uma das dúvidas mais frequentes por quem deseja ingressar no mercado imobiliário como corretor de imóveis, e também para tantas outras que surgem antes e, fatalmente, depois de você se tornar um corretor. 

Agora, se você já é um profissional, ou seja, tem o CRECI em mãos, já sabe quanto ganha um corretor de imóveis, não é mesmo?

Mas, claro que você também é bem-vindo e o melhor, pode contribuir com esse material deixando seu comentário, compartilhando suas experiências e opiniões com  a gente. 

Sendo assim, vamos ao que interessa e ao assunto principal de hoje: 

Quanto ganha um corretor de imóveis 

Depende. Essa é a palavra que melhor responde a essa pergunta. 

Isso porque o corretor de imóveis não tem um salário fixo, um piso salarial ou qualquer coisa do gênero, obrigatório em tantas outras profissões mundo afora. 

Registro em Carteira, de Ponto, horário comercial de trabalho e tantos outros termos do mercado de trabalho formal, definitivamente, não existem para o corretor de imóveis. 

O corretor de imóveis é comissionado por venda. Ele ganha um percentual do valor do imóvel vendido como honorário. 

Esse percentual é definido pelo CRECI, o Conselho Regional do Corretor de Imóveis de cada região. E isso é Lei. 

Para sermos mais exatos, ela está descrita no artigo 725 do Código Civil Brasileiro, que diz o seguinte: 

“A remuneração é devida ao corretor uma vez que tenha conseguido o resultado previsto no contrato de mediação, ou ainda que este não se efetive em virtude de arrependimento das partes.” 

Sendo assim, a remuneração do corretor de imóveis é uma constante variável e DEPENDE muito do quanto ele vende. 

E, quanto mais ele vender, maior é o salário do corretor de imóveis. 

Salário de Corretor de Imóveis Autônomo

Como diria um dos ícones do futebol brasileiro, Arnaldo César Coelho: “A regra é clara!”. 

Tudo que o diz respeito a comissão do corretor de imóveis, sobretudo a lei, vale para todos os corretores de imóveis que atuam em território nacional.

Independente do modelo de trabalho que ele opta para exercer a profissão. 

Autônomo ou corretor de imóveis em uma imobiliária, o corretor de imóveis não tem salário fixo e é comissionado por venda e locação. 

Em paralelo, vale ressaltar aqui que, o que difere os valores do “salário” do corretor de imóveis autônomo para o que trabalha em uma imobiliária, é o fato de não ter que dividir essa comissão. 

O corretor de imóveis autônomo não divide a sua comissão com a imobiliária, o que, eventualmente, pode fazer dos seus ganhos, o seu “salário” maior. 

Ressalto: eventualmente. 

Como disse no início da nossa conversa, há muitas variáveis quando se trata de “salário” do corretor de imóveis e é impossível garantir que ele será maior, única e exclusivamente por isso. 

Em tempo, cabe aqui uma dica/conselho: anota aí!

A opção de trabalhar como corretor autônomo não pode, nem deve, estar relacionada única e exclusivamente a este fator: comissão! 

A rotina de um corretor de imóveis é intensa, o processo de compra e venda de um imóvel complexo e que, fatalmente, em algumas etapas pode exigir o apoio de terceiros. 

E isso pode ter um custo, uma das variáveis que tanto falamos por aqui e que interferem no valor final do “salário” do corretor.  

Salário de Corretor de Imóveis em Imobiliária

Se quem trabalha sozinho, faz tudo sozinho e ganha sozinho, quem trabalha em grupo, com o apoio de um time, divide com os louros com ele.  

Essa é a dinâmica dentro de uma imobiliária e a grande diferença do “salário” do corretor de imóveis em imobiliária. 

Do percentual estipulado em lei e seguido por cada CRECI nas imobiliárias, os corretores que atuam por elas recebem um percentual menor do valor da comissão da venda. 

Por exemplo, em São Paulo, onde a comissão do corretor de imóveis é de 6% sobre o valor da venda. 

Geralmente, o corretor de imóveis de uma imobiliária fica com 2% dos 6%. 

Esse percentual varia de imobiliária para imobiliária e deve ser acordado previamente. 

  • Ah, mas está certo isso? 
  • Sim. Está sim. 

O que você precisa fazer é deixar esse percentual de comissão (a sua parte no jogo!) pré estipulado desde o seu primeiro dia de trabalho na imobiliária. 

Dizem por aí que o combinado não sai caro, né? 

Uma imobiliária, teoricamente, tem uma estrutura maior para sustentar: 

  • Internet;
  • Ponto Comercial;
  • Água;
  • Luz;
  • Sistema Imobiliário;
  • Café;
  • Computadores
  • Marketing Imobiliário
  • Etc.

São muitos os custos fixos de uma imobiliária que você não paga diretamente e usufrui.

Sem falar em todo o respaldo que trabalhar em equipe nos traz. 

A troca de conhecimento, o suporte e até mesmo a credibilidade da marca da imobiliária no mercado 😉 

  • Mas o corretor vai ganhar muito menos? 
  • Depende! 

Essa é a palavra que melhor define o tema mesmo. 

Se por um lado o corretor que trabalha em uma imobiliária divide a comissão da venda com ela, por outro, com toda essa infraestrutura e respaldo, ele tende a vender mais. 

Um dos pontos mais positivos de trabalhar em uma imobiliária é o respaldo e a estrutura que ela oferece ao corretor de imóveis. 

Corretor de Imóveis iniciante, quanto ganha?

Se você já é um corretor de imóveis, sabe que tudo começa ainda na busca pelo seu registro do CRECI, no estágio obrigatório. 

E, se você ainda não é um corretor de imóveis profissional, ou seja, devidamente credenciado pelo CRECI, fique ciente: tem que estagiar! 

Como falamos em “Os melhore cursos para corretores de imóveis”. Tem tudo o que você precisa saber para tirar o CRECI se profissionalizar e, claro, depois do CRECI em mãos 😉

Agora sobre o estágio, é muito válido, pois, assim como nos estágios de toda e qualquer profissão é possível ganhar conhecimento prático, em campo, e fortalecer a bagagem profissional em uma carreira que está se iniciando. 

Depois disso, você pode escolher seguir “sozinho”, como corretor de imóveis autônomo ou nesta ou em outra imobiliária já como corretor de imóveis profissional, trabalhando e ganhando como todos. 

Mas, vale lembrar que, ainda é um iniciante na área. E o que isso implica nas minhas comissões: em nada! 

Um corretor de imóveis iniciante recebe exatamente como todo e qualquer corretor de imóveis, com qualquer nível de experiência e bagagem profissional.

Isso em questões legais, claro. Não importa o quanto tempo você tem o CRECI. Vendeu, a comissão é sua.  

O que pode ser um diferencial e impactado pela experiência, assim como em toda e qualquer profissão, é a desenvoltura no atendimento ao cliente, durante as visitas aos imóveis, na parte burocrática etc. 

Um conhecimento que na teoria é muito válido, mas, saber “desenrolar” na prática é ainda melhor. 

Conhecimento está diretamente atrelado a agilidade, eficiência… mas, tem coisas que só a prática e a experiência conseguem nos proporcionar, por isso, não se apegue a isso e vá construindo sua bagagem gradativamente. 

A dica aqui é estudar! 

Costumo dizer que fazer o curso de TTI – Técnico em Transações Imobiliárias ou de Gestão Imobiliária e tirar o registro do CRECI é apenas o primeiro passo para ser um corretor de imóveis de sucesso. 

Por falar nisso, vale muito ler o nosso post blog “Corretor de imóveis de sucesso: como ser um deles”. 

Nele, eu falo justamente sobre a importância de se capacitar e aperfeiçoar conhecimentos sobre o mercado imobiliário e áreas correlatas, que agregam direta e indiretamente ao dia a dia do profissional da área, como: 

  • Avaliação Imobiliária;
  • Marketing Digital para corretores de imóveis e imobiliárias;
  • Técnicas de Vendas e de Negociações;
  • Administração de Tempo;
  • Gestão administrativa. 

E claro, consumir notícias do mercado imobiliário, economia e da região/praça onde atua. 

Tudo isso você encontra disponível gratuitamente na internet. Dos cursos as notícias. Não tem desculpa para ir em busca de ser o melhor corretor de imóveis que você pode! 

Qual a comissão de um corretor de Imóveis

Depois de batermos um bom papo sobre quanto ganha um corretor de imóveis, o salário de um corretor de imóveis, as diferenças dessa remuneração entre o corretor autônomo e o corretor de imóveis que trabalha em imobiliária, fica claro que o corretor de imóveis não tem salário. 

O corretor de imóveis é comissionado e recebe honorários pelos trabalhos prestados como intermediador da compra e venda de um imóvel. 

Esse percentual de comissão é determinado por lei e vai de 5% a 8% para a venda de imóveis e até 18% para locação de imóveis. 

Cada Conselho Regional do Corretor de Imóveis determina esse percentual. 

Assim como o percentual da comissão do corretor de imóveis, a garantia de recebimento dela é assegurada pela LEI Nº 6.530, DE 12 DE MAIO DE 1978.

Ou seja, caso não sejam cumpridos os acordos estabelecidos durante a negociação, cabe uma ação judicial. 

Em tempo, vale reforçar a importância do uso de documentos que resguardem o corretor de imóveis em casos de futuros transtornos, como o Termo de Visitas e as propostas de interesse de compra e venda do imóvel. 

Como fazer um planejamento de metas de ganhos

Agora que você já sabe quanto ganha um corretor de imóveis, isso te anima ou te frustra?

O fato do corretor não ter um salário fixo, vínculo empregatício etc., é visto por dois ângulos: um positivo e o outro, nem tanto. 

Enquanto para muitas pessoas isso é um problema, por outro lado, é um grande diferencial na profissão e tem atraído cada vez mais pessoas ao mercado. 

Pessoas que encaram o fato de poder “fazer o seu salário” algo motivador. 

Pra você ter uma ideia, segundo dados do Sistema COFECI CRECI, mais de 2 mil corretores de imóveis ingressam no mercado imobiliário brasileiro mensalmente. 

Ou seja, tem muita gente que encara o desafio de não ter essa relativa segurança do salário fixo, todo mês caindo certinho na conta. 

De qualquer forma, isso não diminui o tamanho do desafio, não é mesmo?

Trabalhar com vendas é muito desafiador. Trabalhar com venda de imóveis é extremamente desafiador!

Diferente do varejo, por exemplo, bens de consumo e de alto valor agregado como um imóvel – financeiro e emocional – têm jornadas de compra muito longas, ou seja, não se vende do dia pra noite. 

Logo, receber a comissão também pode levar algum tempo. 

E, como a vida não espera, muito menos as contas, o ideal é se programar.

Organizar para viver o lado bom e as peculiaridades da profissão. 

Estabelecer metas e ganhos e traçar um planejamento para o alcance desses resultados é fundamental, por isso, trouxe aqui alguns caminhos para isso. 

Um deles é a metodologia Goals Smart, criada por  Peter Drucker, o pai da administração moderna.

É um caminho reconhecido pela praticidade de entendimento, prática e, claro, eficiência.  

Fizemos um conteúdo muito bacana e focado neste assunto aqui, é o artigo “Metas imobiliárias: como definir as minhas”. 

Recomendo a leitura dele também, mas vale aqui um resumo sobre a metodologia. 

Vamos lá! 

Cada letrinha da palavra Smart tem um significado e eles dão direcionamento a metodologia. 

Eles estão em inglês, mas, traduzimos e trouxemos para o protuguês 🙂 Olha só:  

S – Specific. Seja específico

M – Measurable. Trace objetivos mensuráveis

A – Attainable – E também objetivos atingíveis

R – Realistic – Seja realista

T – Time-bound – Tenha prazos bem estipulados

Este é o ponto inicial da metodologia que recomendo e uso por aqui.

Como eu disse, vale se aprofundar no assunto lendo o nosso post sobre o assunto.  

A dica extra aqui é poder contar com um bom sistema para imobiliárias  para gestão do seu trabalho. 

Essa é, sem dúvidas, a ferramenta completa que você não pode abrir mão quando se trata de alcance de resultados, organização de trabalho, otimização de tempo, jornada de compra e experiência do cliente, enfim, a todo o universo das transações imobiliárias. 

Autônomo ou dono de uma imobiliária, contar com um bom sistema para imobiliárias faz total diferença no alcance de resultados, com destaque, claro, na trajetória para essa conquista que são as metas. 

Em meio a um mercado imobiliário cada vez mais competitivo, ser estratégico é um diferencial e tanto. 

Costumo dizer que dificilmente (e nem precisa!) reinventamos a roda ou a luz elétrica.

Basta fazermos um bom e consistente trabalho antes mesmo do seu cliente cair no seu funil de vendas. 

Quanto um corretor de imóveis ganha, qual o seu salário, repito: depende… e muito dele mesmo.

Pense nisso. E bons negócios! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Experimente por 15 dias grátis!
Sem nenhum tipo de cobrança.

    Suas informações estão seguras.

    Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo.

    Sair da versão mobile