A profissão Corretor de imóveis: vale a pena em 2021?

Oi Corretor de Imóveis, como vai? Ou será que você que nos lê ainda não é um corretor e está buscando entender mais e melhor sobre a profissão corretor de imóveis? 

Seja qual for o seu cenário atual, você está no lugar certo, ou melhor, no conteúdo certo. 

O nosso bate papo de hoje é para esclarecer questões sobre a profissão e elucidar uma das perguntas mais frequentes por quem deseja ingressar no mercado imobiliário como corretor de imóveis e também por quem já é um profissional da área: 

A profissão corretor de imóveis vale a pena? 

A resposta para esse questionamento é, mais uma vez, depende. 

Isso mesmo! Assim como toda e qualquer profissão, há uma série de pontos que envolvem perfil profissional, estilo de vida, projetos para o futuro, aptidões, gostos e tudo mais. 

E, para entender se a profissão corretor de imóveis é ou não para você, se vale a pena mergulhar neste universo ou se manter nele, é preciso analisar todos esses pontos. 

Como é a profissão corretor de imóveis

Além de fazer uma autoanálise do seu perfil profissional e pessoal para entender se é compatível ou não com a profissão corretor de imóveis, é preciso estudar bem a rotina de trabalho do corretor. 

Esse é estudo que deve ser feito com muito critério, olhando com franqueza para os prós e contras da profissão que, segundo o Conselho Federal do Corretor de Imóveis, o COFECI, recebe mais de 2 mil novos profissionais por mês em todo o Brasil. 

Esse dado aponta que há uma concorrência acirrada no mercado e isso nem sempre pode ser considerado um ponto negativo, muito pelo contrário, a concorrência saudável qualifica o mercado e quem entende isso, se beneficia da necessidade de se destacar em meio a ela. 

Prós e contras da profissão corretor de imóveis 

Toda profissão tem seus desafios e oportunidades, que podem ser encarados também como prós e contras. 

É importante analisar e entender que não se trata de algo ruim da profissão em si, mas de algo que incompatível com o seu momento, estilo de vida e planos para o futuro pessoal e profissional. 

Pois, o que pode ser o ‘contra’ pra você na profissão, pode ser exatamente tudo o que outra pessoa busca como trabalho, carreira etc.  

Então, analise os prós e contras da profissão listados abaixo com esse olhar, uma visão pessoal.   

Os Prós da Corretagem de Imóveis 

Toldos de policarbonato - prós e contras - Inova Toldos

Democrática – É uma profissão para todo e qualquer pessoa, homens, mulheres, de qualquer idade acima dos 18 anos. 

Todos podem ingressar no mercado imobiliário como corretor de imóveis, seja mais cedo ou depois de se aposentar em outra profissão. 

Flexibilidade – Esse é um dos pontos mais vistos como positivo na profissão corretor de imóveis. 

Ter total controle da sua agenda, poder fazer o seu horário de trabalho está atrelado a qualidade de vida e algo que quase todo mundo busca hoje em dia, não é mesmo? 

Essa flexibilidade permite ao corretor de imóveis conciliar sua vida pessoal e profissional bem melhor do que quem tem que bater ponto, fazer hora extra e por aí vai. 

Autonomia – Todo corretor de imóveis é um profissional autônomo e como tal, não tem vínculo empregatício com nenhuma empresa, imobiliária. 

Isso pode ser encarado como oportunidade e também desafio, mas, trazendo aqui como algo positivo da profissão, traz a liberdade de criar e desenvolver desde a sua rotina até o seus planos de ganhos e carreira a curto, médio e longo prazos. 

Remuneração acima da média do mercado – Se por um lado o corretor de imóveis não tem salário, é apenas comissionado sobre a venda ou locação de um imóvel, com isso ele tem a oportunidade de ganhar cada vez mais. 

E, se comparado a média salarial do mercado, essa remuneração se destaca e muito.  

E os Contras da profissão?

Todos os pontos que citei acima como benefícios da profissão corretor de imóveis podem ser visto de outro ângulo e, dependendo do perfil da pessoal, serem algo bem negativo, por exemplo: 

Flexibilidade – É preciso ter uma autogestão, administração de tempo e organização impecável para funcionar bem e isso está totalmente atrelado ao seu perfil pessoal e profissional. 

Se você tem ou está disposto a desenvolver essas competências, maravilha. Se não estiver, essa flexibilidade pode te derrubar! 

Salário – o corretor de imóveis não tem salário fixo, ajuda de custo, plano de saúde ou qualquer outro benefício que um profissional que trabalha em regime CLT tem. 

Ele só é remunerado quando a venda acontece de fato e, se for um financiamento imobiliário bancário, por exemplo, é um trâmite mais burocrático e moroso, que tende a levar de 60 a 90 dias para se concluir e isso impacta diretamente no tempo do recebimento da sua comissão. 

Em resumo é: vendeu, recebeu. Não vendeu, não tem comissão, nem prêmio de consolação. 

O corretor faz o seu salário e nem sempre isso depende só dele. 

É um baita desafio e também uma super oportunidade de ganhar cada vez mais, quem decide isso é você! 

Concorrência – Como citei acima, são mais de 2 mil corretores de imóveis ingressando no mercado mensalmente. 

É uma concorrência grande, que exige do profissional cada vez mais capacitação, performance, estudos para que ele não seja só mais um em meio a multidão. 

Como se tornar um corretor de imóveis

Se você chegou até aqui é porque está decidido, não é mesmo? 

Brincadeiras à parte, para se tornar um corretor de imóveis é preciso estudar e ter direito ao CRECI, o registro profissional do corretor de imóveis emitido pelo Conselho Regional da classe. 

Guarda bem essas cinco letrinhas aí: CRECI. Elas vão fazer parte da sua vida como corretor de imóveis para sempre. 

Tem um conteúdo aqui no blog que explica direitinho tudo sobre os Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis, é esse aqui: CRECI: Saiba tudo sobre o Conselho dos Corretores de Imóveis. Passa lá depois.  

Para tirar o CRECI e ser um corretor de imóveis profissional é preciso concluir o curso de TTI, o Técnico em Transações Imobiliárias ou o curso superior de Gestão em Negócios Imobiliários. 

Eles são reconhecidos pelo CRECI e permitem que o aluno se profissionalize e seja credenciado como corretor de imóveis profissional. 

Eles duram, em média, 2 anos. Depende muito da instituição de ensino. 

Entre esses processos de estudos, há uma etapa importante para a conclusão do curso e a solicitação do Registro Profissional junto ao CRECI, que é o estágio.

É preciso estagiar como corretor de imóveis

O estágio deve ser em uma imobiliária, orientado e supervisionado por um gerente ou dono de imobiliária. 

O corretor de imóveis estagiário deve cumprir um mínimo de 128 horas. 

O estágio é um processo importante na construção de qualquer carreira, a porta de entrada em imobiliárias e a oportunidade de conhecer de perto a realidade do dia a dia de um corretor de imóveis.  

Depois disso… 

Com a carta de estágio em mãos, reúna toda a documentação exigida pelo CRECI e o pagamento de uma taxa e leve ao CRECI da sua região para dar entrada no pedido do seu registro profissional, a sua tão esperada e batalhada carteirinha do CRECI. 

O documento, geralmente, é entregue em uma solenidade organizada pelo CRECI, em uma cerimônia, junto do código de ética da profissão. 

Lembre-se de atualizar e regularizar o seu registro no CRECI anualmente. O valor da anuidade do CRECI varia de região para região. Consulte no seu CRECI.

comissão do corretor de imóveis

Qual o salário da profissão?

Já falamos sobre isso por aqui algumas vezes, mas, é importante reforçar que:

O corretor de imóveis não tem salário. 

Nem o corretor, nem o gerente e o dono da imobiliária. 

Todos eles são comissionados sobre o valor da transação imobiliária: venda, permuta, locação etc.   

Esse valor é estipulado e determinado por lei, a lei 6.530/78.  

Cada CRECI tem o seu percentual de comissão, por exemplo, em São Paulo é de 6% sobre o valor da venda, no Rio de Janeiro é de 5%. 

É preciso consultar o CRECI da região onde você atua para saber qual o percentual de comissão é estipulado por ele e segui-lo. 

Em tempo, reforço também a orientação para que não abra mão da sua comissão, sobretudo, em pedidos de descontos. 

Mostre ao cliente o valor e a importância de um profissional da área em uma transação tão complexa como a de compra e venda de imóveis. De alto valor financeiro e emocional agregado. 

Exercício irregular da profissão de corretor de imóveis

Quem atua como corretor de imóveis sem ser devidamente credenciado pelo CRECI pratica um crime. 

O “exercício ilegal da profissão caracteriza contravenção-penal prevista no artigo 47 da lei 3688/41”, pontua o COFECI

De denunciado, o pseudo corretor de imóveis é autuado e notificado, em uma segunda denúncia, é notificado como crime e responderá judicialmente por isso.  

Além de um risco para quem pratica, há uma série de riscos também o risco para quem compactua com o ato, em especial, os clientes que confiam seus patrimônios falsos profissionais. 

Fique atento a isso e seja um profissional devidamente credenciado pelo CRECI para atuar dentro da lei, com seus direitos garantidos. 

Como entrar no mercado como corretor de imóveis

A melhor e mais segura porta de entrada no mercado imobiliário é o estágio. 

O estágio em uma imobiliária, supervisionado por um gerente ou dono da imobiliária, é uma oportunidade importante para você conhecer de perto a rotina e a realidade da profissão corretor de imóveis. 

Algo que assim como toda e qualquer profissão, vai muito além da sala de aula. 

A corretagem de imóveis na prática pode ser muito mais desafiadora e complexa do que a teoria ensina. 

Processos complexos, clientes diferentes, cenários distintos. São coisas que só vivendo para entender e o estágio traz essa oportunidade e o melhor: em fase de aprendizado, permitindo que o futuro profissional se desenvolva corretamente.  

A dica aqui é buscar pelo estágio presencialmente, ou seja, batendo na porta das imobiliárias da sua região se colocando à disposição para estagiar. 

Vale a pena ser corretor de imóveis em 2021?

Sendo o mais franco com você: SIM! 

Estamos vivendo um dos melhores cenários do mercado imobiliário nacional. 

Se um dia sofremos com os impactos da pandemia, hoje colhemos os frutos de um segmento que soube, como poucos, se reinventar em meio ao caos. 

E por falar em impactos, a maior parte deles, por incrível que pareça, foi benéfica ao segmento. 

O conceito de morar mudou completamente nos últimos 2 anos. A necessidade de lares maiores, menores, o home office, os planos da casa de campo ou de praia para a aposentadoria foram adiantados e, com isso, criou-se uma demanda inesperada para o mercado. 

Em paralelo, a taxa Selic vem de quedas históricas contribuindo efetivamente com a baixa das taxas de juros dos financiamentos bancários e tudo isso fez deste o melhor momento para comprar um imóvel financiado pelo banco. 

Por essas e outras que eu afirmo que vale a pena ser um corretor de imóveis em 2021 e, pelo andar da carruagem, por um bom tempo desfrutaremos dessa colheita. 

Se você ainda não é um corretor de imóveis, essa é a hora. 

E, se você já está no mercado se questionando se a profissão corretor de imóveis vale a pena, faça essa análise com os pontos que trouxemos aqui. 

E se, assim como nós, entender que sim, vale a pena ser corretor de imóveis, conte com a gente para ser o melhor e mais competente profissional que você pode ser. 

Até breve!

4 respostas para “A profissão Corretor de imóveis: vale a pena em 2021?”

  1. Muito pertinente esse artigo .

    coloca as reais necessidades do profissional em pauta para uma profunda reflexão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Experimente por 15 dias grátis!
Sem nenhum tipo de cobrança.

    Suas informações estão seguras.

    Confira nossos materiais gratuitos para te ajudar a vender mais

    Já vai sair?

    Antes confira nossos materiais gratuitos para te ajudar a vender mais

    Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo.